Chá de hibisco

Chá de hibisco e Hipertensão

Chá de Hibisco e Hipertensão

O hibisco (Hibiscus sabdariffa L.) é uma das plantas nutracêuticas mais procuradas e vendidas em todo o mundo. O Chá de Hibisco possui propriedades diuréticas, antioxidantes, anti-hipertensivas, antiparasitárias e de normalização intestinal. A principal parte da planta de hibisco utilizada na obtenção do chá são os cálices e as vagens das flores.

Os cálices de cor vermelho escarlata possuem um aroma característico e um gosto amargo. Além disso, quando frescos ou secos são utilizados para a preparação de chás e em alguns lugares são utilizados como substitutos do café. A Infusão de chá de Hibisco não só dá sabor e aroma específicos como também traz muitos compostos essenciais para a saúde humana. Tais como: polifenóis, cafeína, aminoácidos, vitaminas, carboidratos e oligoelementos.

Chá de hibisco

Origem do Hibisco

Hibiscus sabdariffa L. foi introduzido no Brasil pelos antigos africanos e é uma espécie que tem se mostrado promissora como fonte rápida de fibras maleáveis. Além disso, o Hibisco se detém de características que lhe conferem utilidades para artesanato, alimento humano, cordoaria e cosméticos. Ademais, tabmém serve para fungicida, inseticida, medicinal, ornamental para papel, tinturaria, dentre outros. Além disso, as flores têm uma diversidade de empregos alimentícios no preparo de picles, sucos, geleias e para aromatizar bebidas, dentre outros fins.

É conhecido popularmente como vinagreira, rosela, caruru-azedo, azedinha, caruru-da-guiné, azeda-da-guiné, quiabo-azedo, quiabo-róseo, quiabo-roxo, rosela, rosélia, groselha, quiabo-de-angola e groselheira.  Ou seja, há diversas forma de chmá-lo. O Hibisco é uma espécie vegetal da família Malvaceae proveniente da África Oriental e foi introduzido ao Brasil pelos escravos.

Ademais, o Hibisco é um alimento funcional nos países da Ásia (Japão, China, Coréia e Taiwan). O interesse econômico está nos cálices desidratados utilizados mundialmente para a produção de bebidas, alimentos, conservantes e antioxidantes. As sementes do fruto do hibisco surgem como um subproduto concomitante ao cultivo em larga escala e a exploração comercial da planta. Estas estruturas vegetais podem ser uma fonte de antioxidantes e, ao serem trituradas, servem na alimentação humana como uma fonte expressiva de proteínas e, se torradas, são substitutas do café. Ou seja, além do Chá de Hibisco, há diversas outras formas de consumí-lo.

Além disso, alguns autores relatam uma possível relação entre a quantidade de antocianinas e a atividade antimicrobiana do hibisco.

Mariane Meurer

NUTRICIONISTA – CRN 10.5317

Gabriela Dors Wilke Rocha

NUTRICIONISTA – CRN 10.4719

Nos siga nas mídias sociais


Twitter


Facebook-f


Youtube


Instagram

Loja

Artigos relacionados