Disbiose: Tratamento Nutricional

Disbiose

O organismo humano precisa que os mecanismos de defesa estejam funcionando de maneira eficaz. E o intestino em, conjuntamente a todo o Sistema Imunológico, tem a ação de evitar que agentes nocivos (são aqueles que podem trazer ou ocasionar danos à saúde ou à integridade física), como o estresse fisiológico (que leva a distúrbios transitórios ou a doenças graves) ou psicológico, os micro-organismos patogênicos e os corpos estranhos, prejudiquem a saúde. Quando há o desequilíbrio no funcionamento do Intestino, temos a Disbiose.

Disbiose

O que é Disbiose?

A Disbiose é uma disfunção do intestino devido, entre outros fatores, ao desequilíbrio quantitativo de diferentes micro-organismos (bactérias benéficas e maléficas) que participam da microbiota intestinal. Quando a nossa microbiota intestinal está saudável ela forma uma barreira contra micro-organismos invasores, potencializando as defesas do hospedeiro (indivíduo) e estimulando a resposta imune local. Além dessa função, ela também compete por combustíveis no lúmen intestinal (interior do intestino), prevenindo o estabelecimento das bactérias maléficas.

A aquisição da microbiota intestinal ocorre no primeiro ano de vida e é influenciada por vários fatores, como a idade gestacional, o tipo de parto e a dieta. Como por exemplo os lactentes alimentados com leite materno têm a composição da microbiota mais saudável em comparação aos alimentados com fórmulas.

Outros fatores que levam o indivíduo a desenvolver disbiose podem estar associados a carências de vitaminas (principalmente deficiência de B12) através de uma alimentação pobre em nutrientes, com excesso de alimentos industrializados, açúcar, gordura e com baixa ingestão de fibras; Estresse; Intoxicação por agrotóxicos e metais pesados; Uso abusivo de álcool e cigarro; Uso indiscriminado de certos fármacos, como antibióticos, anti-inflamatórios, antiácidos e corticoides.

Todos esses fatores, fazem com que as bactérias maléficas aumentem e colonizem o intestino delgado, gerando uma má absorção de nutrientes e combinações de toxinas com proteínas gerando substâncias perigosas, e levando então a citada disbiose.

Microbiota Benéfica

A microbiota benéfica ajuda a digerir os alimentos e a produzir substâncias que são parcialmente absorvidos e utilizados pelo hospedeiro (indivíduo). Essa microbiota continua a digestão de alguns materiais ou substâncias que resistiram à atividade digestiva anterior. Nesse processo, vários nutrientes são formados como vitamina K, vitamina B12, tiamina e riboflavina.

Disbiose

Um estudo realizado por Johnson e colaboradores em 2015, investigaram se a suplementação dietética poderia ser usada para melhorar os efeitos secundários dos antibióticos. Embora os antibióticos neguem os efeitos benéficos da suplementação dietética, em certas combinações de tratamento, notavelmente a ampicilina e a inulina, a suplementação dietética melhoraram os efeitos dos antibióticos. Há assim, por conseguinte o potencial para a utilização de suplementos para diminuir os efeitos adversos dos antibióticos.

Diagnóstico da Disbiose

O diagnóstico da disbiose é realizado através de uma investigação de algumas condições: história de constipação intestinal crônica, flatulência (gases) e distensão abdominal, mudanças de humor, entre outros desconfortos. Dessa forma, o tratamento da disbiose consiste na abordagem dietética e medicamentosa. Ademais, a abordagem dietética se dá por meio da ingestão de alimentos que contenham probióticos, prebióticos e/ou simbióticos. Entretanto, em casos mais graves há a necessidade de outras intervenções.

Além disso, probióticos, micro-organismos vivos, em quantidades adequadas promovem benefícios, os que se destacam são os grupos das Bifidobacterium e os Lactobacillus. Já os prebióticos, são componentes alimentares não digeríveis e também são benéficos por estimular seletivamente o crescimento das bactérias desejáveis no cólon. Exemplos de prebióticos são fibras e amido resistente, o qual resiste a digestão no intestino delgado chegando ao cólon e servindo de substrato (combustível) para a microbiota intestinal. Os simbióticos são combinações apropriadas dos dois.

O intestino é o melhor indicador para a avaliação da saúde de uma pessoa. Cuidando melhor do sistema gastrointestinal, conseguimos melhorar o sistema imunológico gerando assim mais qualidade de vida.

Mariane Meurer

NUTRICIONISTA

CRN 10.5317

Gabriela Dors Wilke Rocha

NUTRICIONISTA

CRN 10.4719

 

Nos siga nas mídias sociais


Twitter


Facebook-f


Youtube


Instagram

Loja

Artigos relacionados