formulações manipuladas

Formulações manipuladas: segredos das prescrições eficazes 

Formulações Manipuladas e Suplementação

Formulações manipuladas: os segredos das prescrições eficazes 
Prescrever formulações manipuladas ainda é desafio para vários nutricionistas, e essa incógnita vem acompanhada de vários questionamentos, um deles é a real necessidade da suplementação.

A verdade é que muita coisa mudou ao longo do tempo, e uma delas foi a alta prevalência da obesidade. 

E nesse cenário onde a obesidade está configurada, impera a fome oculta.

 

Você sabe o que é a fome oculta?

A fome oculta ocorre quando a qualidade dos alimentos consumidos se apresenta deficiente em micronutrientes (vitaminas e minerais) que atuam nas vias metabólicas e funções fisiológicas do organismo.

Há uma estimativa feita pela FAO que em cada quatro pessoas, uma apresenta deficiência de micronutrientes.

 

Mas por que suplementar?

Bem, podemos alguns fatores corroboram para a necessidade da suplementação, como:

  1. Variabilidade alimentar: um indivíduo não come a mesma coisa todos os dias, podendo não atender as necessidades diárias de micronutrientes;
  2. Diferença da composição em micronutrientes de um plano alimentar com a mesma composição, onde os equivalentes costumam ser macronutrientes e não em micronutrientes;
  3. Hábitos alimentares regionais e familiares;
  4. A monocultura do solo. Atualmente as plantações sobrecarregam o solo ao plantar somente um alimento e não variar conforme as épocas, isso pode comprometer a qualidade nutricional dos alimentos provenientes dele.
  5. Vida moderna que proporciona o indivíduo a comer mais fora de casa, muitas vezes por opções que não favorecem a composição de variados micronutrientes;
  6. Preparo incorreto dos alimentos: o processo de cocção de alguns alimentos, altera a disponibilidade dos nutrientes, como por exemplo: cozinhar demais o brócolis e diminuir a quantidade de sulforafanos ou não deixar o feijão de molho e não retirar os compostos anti-nutricionais;

Bem, independentemente desses limitantes, nutricionista deve promover a educação nutricional e estimular hábitos alimentares saudáveis por meio da orientação dietética.

Já a prescrição magistral pode ser o complemento que irá preencher as lacunas nutricionais relacionadas à baixa adesão ao tratamento, aumento das necessidades e correção de deficiências nutricionais.

Dessa forma, a reeducação alimentar deve ser priorizada, e a suplementação ser uma alternativa para suprir carências nutricionais e para determinadas patologias ou situações, onde o paciente não consegue ingerir toda a quantidade de nutrientes importantes para a manutenção ou recuperação do estado nutricional.

 

Quando suplementar?

Mas como avaliar a necessidade de suplementação?

Bem, para isso confira alguns questionamentos que podem conduzir a avaliação da necessidade da suplementação. 

  1. Qual a idade e o estado fisiológico do paciente? 
  2. Como é o consumo alimentar do paciente? Ele restringe algum grupo?
  3. O paciente apresenta exames que indiquem alguma deficiência nutricional?
  4. O paciente possui alguma patologia?
  5. Qual a história pregressa do paciente?
  6. O paciente faz uso de medicamentos?
  7. Realizou ou vai realizar alguma cirurgia? 
  8. Qual nível de atividade física e o local de realização?

Com essas respostas é possível avaliar a necessidade da suplementação, por exemplo dependendo da idade do paciente, as necessidades nutricionais podem ser elevadas ou no caso da presença de patologias, alguns nutrientes precisam ser preconizados. 

O objetivo da suplementação pode ser tanto terapêutico, quando tem o objetivo de tratar a doença ou amenizar os sintomas, quanto preventiva, quando há polimorfismos e históricos familiares.

O que precisa para prescrever suplementos e Formulações manipuladas? 

Muitos não sabem, mas com a graduação e CRN ativo, teoricamente o nutricionista estaria habilitado para prescrição de suplementos nutricionais.

Mas atenção, habilitado não quer dizer apto.

Eu vejo muita insegurança e inclusive falta de conhecimento no que compete a prescrição de formulações manipuladas. 

Uma coisa é fato, não aprendemos sobre prescrição magistral na faculdade de nutrição, mas quando o nutricionista se dispõe a complementar sua conduta nutricional com formulações ou indicações de suplementação, é necessário ter a segurança e o conhecimento para tal.

 

Erros na Prescrição Magistral de Formulações Manipuladas


Como falado antes, não é grade de uma faculdade de nutrição o aprendizado sobre prescrição magistral. Entretanto, a partir do momento em que o nutricionista se compromete a fazer uma formulação manipulada é preciso ter conhecimento. 

No entanto, ainda não é uma realidade para a maioria e por isso é muito comum as Farmácias Magistrais receberem frequentemente receitas de Nutricionistas com inúmeros erros.

Esses erros impactam na eficácia e segurança do tratamento e quem sofre as consequências é o paciente. 

Desta forma, antes de copiar formulações na internet ou de lâminas técnicas de suplementos, busque conhecimento para prescrições mais seguras e eficazes, ok?

Aqui uma lista dos erros mais comuns que percebo na prescrição magistral:

1.Não incluir forma química do nutriente;

2.Na posologia escrever “tomar 1 cápsula” ao invés de “1 dose”;

3.Misturar fitoterápicos na formulação;

4.Não incluir o tempo estimado de consumo;

5.Prescrever doses e ativos incompatíveis com formas farmacêuticas;

6.Não orientar os pacientes aos possíveis efeitos adversos;

7.Errar unidade de medida: mg ao invés de mcg.

Suplemento deve ser um complemento 

O suplemento não consegue se igualar a um alimento, por conta da sinergia que existe. 

Um alimento possui fitoquímicos, fibras, água, tem diferentes biodisponibilidades, entre outros fatores.

Por isso, o suplemento deve ser um coadjuvante de uma alimentação equilibrada, rica em comida de verdade.

 

Formação Online “Como Prescrever Formulações Manipuladas”

Bem se você leu até aqui e pretende evitar erros na hora de prescrever formulações manipuladas, assim como adquiri conhecimento e segurança na prescrição, te indico a minha Formação em Como Prescrever Formulações Manipuladas. 

Nela você vai entender definitivamente o que pode ou não pode ser prescrito pelo nutricionista e como preencher um receituário corretamente.

Espero que este conteúdo tenha agregado valor para sua prática clínica. 

Um abraço.

Ana Paula Pujol.

 

Referência: 

DE OLIVEIRA SANTOS, Andréa V. A manipulação de.

PUJOL, Ana P. Manual de formulações para prática clínica. v.2, Editora do autor, 2020.

Artigos relacionados